Cerveja e Growth

Baby Driver: uma análise “rápida” do storytelling

Na semana vi um dos melhores filmes que vi em toda minha vida. Depois que passei a estudar e me aprofundar em roteiro e fotografia, passei a ser mais chato em relação a filmes. Mas, Baby Driver não deixa a desejar em nenhum quesito!

Então, não seria eu se não fosse me aprofundar um pouco mais no filme e ver porque o roteiro é tão incitante.

Quando eu analiso um roteiro, eu não estou saindo do nicho de marketing digital, muito pelo contrário. Roteiro é uma área de copy e, quando você entende como entreter pessoas com um bom conteúdo, você consegue fazer cada vez mais campanhas melhores.

A função do Copywriter é, através de histórias, fazer com que as pessoas acompanhem e tomem uma atitude.

É por isso que Baby Driver é tão especial. Ele consegue realmente prender as pessoas na história!

Para analisar esse roteiro, não irei usar a Jornada do herói do Christopher Vogler. Utilizarei o roteiro padrão do Robert McKee, autor de livros como Story e Storynomics. Além disso tudo, Robert também foi professor dos maiores roteiristas de Hollywood.

Então, estaremos bem servidos.

A ideia é utilizar um modelo de roteiros de sucessos, para analisar se a história do jovem Baby vai estar dentro do que um bom roteiro tem para oferecer.

Então, além de entender como uma história deve ser com base em um dos maiores especialistas da atualidade, você também irá ver um bom exemplo com um grande sucesso do cinema.

Vamos lá? 

PS: SPOILERSSSSSSSS

Fase um: público alvo

Em suma, Baby Driver é um filme de ação voltado para um piloto de fuga, que busca eletrizar o público. Mas, o ajuste de conteúdo passa a ser também uma grande homenagem à música.

Baby Driver

Então, além de cativar pessoas que gostam de filmes de ação, ele cativou mais ainda pessoas que amam o mundo da música.

Fase dois: tema

O tema representa o contexto do filme. É quando somos introduzidos a época que o filme passa, os personagens e quem é o protagonista e o seus objetivos na trama.

Tempo

Provavelmente, o filme se passa entre os anos 2000 e 2010. Mesmo que tenha uma visão mais atual de tempo, pode-se perceber que a ausência de Smartphones e um mundo mais conectado pode fazer mais referência aos 2000’s.

Espaço

Quando fazemos uma análise de espaço, analisamos tanto o local físico (nesse caso, a cidade), como também o espaço social em que o protagonista vive.

Local físico

Temos explícito durante o primeiro assalto que a cidade em questão é Atlanta. Então, não há muito o que falar aqui.

baby driver | leatherraf | Flickr

Local social

Mas, o local social já não é tão trivial assim.

Baby parece que consegue viver bem com o seu pai adotivo, não passa necessidades mas também não tem tanto dinheiro assim. O seu pai parece que sempre está em casa e Baby cuida dele.

In Baby Driver (2017), Baby's foster father reminds Baby that he need wash his hands only once after counting his pizza delivery earnings. This is because the movie takes place in 2021

Porém, o piloto de fuga não parece que quer sair desse patamar para viver em um alto padrão de vida, na verdade o seu objetivo é outro.

É interessante ver essas questões, pois elas influenciam no valor nuclear da história, que iremos analisar agora.

O valor nuclear

O valor nuclear representa o que o personagem busca durante todo o roteiro.

No caso de Baby, podemos confundir com riqueza/pobreza, mas ele nunca demonstrou vontade de ser rico.

Mas, existe um sentimento que sempre está presente em toda trama, o amor materno. Então, o que ele busca durante todo o filme é de alguma forma reaver o amor da mãe que ele perdeu.

Encontrando esse amor em Debora, ele enfrenta tudo para viajar com ela.

O protagonista

Bom, não precisa muito falar sobre o protagonista, certo?

Baby Driver 2 | Sony Pictures dá sinal verde para sequência do longa - Reserva Cinéfila

O centro de bem

Esse é um dos detalhes mais difíceis de encontrar nas histórias.

Ele representa o bem que o protagonista tem dentro de si. Mesmo sendo até mal, existe um centro de bem dentro dele.

“Todo mundo procura um centro de bem, porque, no fundo do coração, todos instintivamente veem-se como bons”

No caso do nosso filme, é extremamente fácil de encontrar esse sentimento dentro do protagonista.

Alguns detalhes que mostram que Baby é uma boa pessoa:

  • Cuidar do seu pai adotivo
  • Fazer de tudo sair do crime
  • Se mantém dirigindo pois tem que pagar uma dívida
  • É sempre educado
  • Faz de tudo para que pessoas não se machuquem nos assaltos
  • Evita cenas violentas

Então, por mais que seja um criminoso, por dentro ele é uma boa pessoa.

Fase três: o incidente incitante

“O incidente incitante inicia uma história perturbando o equilíbrio da vida do protagonista e desalinhando o valor nuclear da história de maneira positiva ou negativa, mas decisiva. Esse ponto de virada dá início aos acontecimentos que se seguem e leva o protagonista a agir.

Ou seja, é o que faz o personagem principal da história sair da sua zona de conforto de alguma forma.

Em uma das cenas, o mentor dos assaltos, Doc, revela que depois que a mãe de Baby morreu, ele roubou um carro com alguns itens de valor dele.

Baby driver - DOC

Com isso, a vida do protagonista é desequilibrada para pagar essa dívida com os pagamentos dos assaltos.

Depois do primeiro assalto já é possível observar que quase todos os pagamentos de Baby vão para Doc.

Fase quatro: o objeto de desejo

Com o desiquilíbrio causado, fazendo o jovem motorista entrar na vida do crime, ele desejava fazer sua vida voltar ao que era antes.

É interessante frisar que o objeto de desejo do protagonista está quase sempre ligado ao valor nuclear.

Debora

O objeto de desejo de Baby fica bem explícito na frase de Debora: “Às vezes, eu só queria ir pro oeste, na estrada 20, num carro que não posso pagar, com um plano que não tenho. Só eu, a música e a estrada

Com isso, baby queria sair da vida do crime para viajar com a sua amada, que, em alguma instância, também representava o amor de sua mãe.

Então, o objeto de desejo de Baby era viajar com Débora: eles, a música e a estrada.

Fase cinco: a primeira ação

A primeira ação representa uma escolha tática e lógica para chegar ao objeto de desejo. A ideia é que seja uma ação que seja previsível e não contenha riscos.

“Todo ser humano age de um momento a outro a partir de seu senso pessoal de probabilidade, daquilo que ele acha que provavelmente vai acontecer quando ele fizer o que pretende fazer em seguida.”

No filme, essa ação tática e lógica é muito fácil de se identificar.

CRÍTICA | 'Em Ritmo de Fuga' é a obra que faltava a Edgar Wright -  Ultraverso

É quando Baby decide que vai parar depois que pagar sua dívida a Doc e irá viver sua vida na estrada com Debora.

Mas, nem tudo sai como esperamos.

Fase seis: a primeira reação

O resumo dessa fase se dá com “expectativas contrariadas”.

“O personagem como que encara a lacuna entre sua antecipação subjetiva e seu resultado objetivo. Então, num jato de compreensão, ele repentinamente vislumbra como seu mundo realmente funciona e como suas forças imprevistas de antagonismo agora bloqueiam seu caminho.”

Ou seja, nada acontece como esperamos.

É quando Doc ameaça a vida de Baby para ele continuar fazendo assaltos faz promessas de riqueza.

Esse é o momento que ocorrem vários pontos de virada na história, como por exemplo o encontro com os policiais, onde Bats resolve matar todo mundo. E também com o encontro da gangue dom Debora.

Essas viradas ocorrem até que se aproxime do momento final, onde uma escolha perigosa vai aproximar (em troco de um grande risco) o protagonista do seu objeto de desejo.

Fase sete: a escolha na crise

“No ponto de crise, o protagonista exauriu todas as táticas possíveis, exceto uma. Esse grande momento exige uma decisão importante. Diante de uma gama de ações possíveis, ele tem de escolher uma última tática, num esforço final de reestabelecer o equilíbrio da vida.”

Mais uma cena extremamente clara durante o assalto aos correios.

The Most Shocking Movie Deaths Of All Time

É quando ele não aguenta mais as ações de Bats e bate no caminhão para matá-lo.

Essa escolha da início ao caminho para o clímax, com a morte de Darling e a batalha com Buddy.

Fase oito: a reação no clímax

Chegamos no clímax e, também, no final da história.

Nesse caso ele está dividido em dois grandes momentos aflitos.

O primeiro é a batalha com Buddy, onde há uma imensidade de reviravoltas até que Baby saia vencedor (e surdo).

In Baby Driver, before Buddy initiates a gunfight that kills a few cops, he  turns his head towards the side, looking at the red tail light. Earlier in  the film, Darling says, “

A segunda é quando ele se entrega para polícia na ponte, até que saia por bom comportamento.

All the Cars in Baby Driver (2017)

E assim ele consegue atingir o seu objeto de desejo, vivendo uma vida na estrada com Debora e a música.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.